Portuguese English Spanish
Entrar

Entrar

Faça seu login
ou use sua conta
Lembrar-me

Create an account

Campos marcados com * são obrigatórios
Nome (*)
Nome de usuário (*)
Senha (*)
Confirmação de senha (*)
Email (*)
Confirmação de email (*)
BUSCA

Maior termelétrica movida a biogás de aterro sanitário do país começa a operar em SP

Destaque
Foto: Divulgação
Recentemente foi inaugurada em Caieiras, na Grande São Paulo, a maior termelétrica movida a biogás de aterro sanitário do Brasil. Com uma potência instalada de 29,5 megawatts (MW), a Termoverde Caieiras está produzindo energia a partir de cerca de oito mil toneladas de resíduos urbanos e industriais. Eles chegam diariamente à Central de Tratamento e Valorização Ambiental (CTVA), da Essencis.

A usina tem 15 mil metros quadrados e começou a ser construída em 2014, com um investimento de mais de R$ 100 milhões do Grupo Solví. Em julho, a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) autorizou o início das operações do empreendimento, que gera energia suficiente para abastecer uma cidade de cerca de 200 mil habitantes. Carlos Bezerra, diretor da Termoverde Caieiras, explica como funciona todo o processo:

“Primeiramente é preciso ter todo um processo de captação ativa do biogás, que é produzido no aterro sanitário. Então é feito um sistema de captação forçada com motores, sopradores, que retiram por sucção esse biogás. Depois esse biogás é enviado para a unidade de tratamento de gás. Então nós temos uma unidade de tratamento desse biogás, onde tiramos a umidade e as impurezas, para em seguida enviar para os motores geradores, em que ocorre a geração de energia elétrica. Hoje nós temos 21 motores geradores, cada um deles com 1,4 MW instalado, totalizando 28,55 MW ou cerca de 30 MW instalado”.



Com a termelétrica, evita-se que o metano – um dos gases do efeito estufa - seja liberado na atmosfera. O diretor Carlos Bezerra ressalta essa importância ambiental e energética do projeto:

“Normalmente quando instalamos esses projetos nos aterros sanitários acabamos conseguindo uma melhoria muito grande na operação desses aterros, porque ele não pode ser operado de qualquer forma. Então é preciso ter um sistema de cobertura muito bom, um sistema de captação de biogás muito bom, e com isso acabamos evitando a emissão de um gás de efeito estufa, que é o metano contido no biogás. Então a importância é muito grande porque você efetivamente contribui para a redução de emissão da emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE), e com isso conseguimos os famosos créditos de carbono. Além disso, quando utilizamos esse biogás não apenas em um flare para queimar ou destruir o metano, quando utilizamos em motores geradores ainda, contribuímos com uma energia limpa a matriz energética brasileira. São duas gigantescas contribuições: uma do ponto de vista ambiental, e a outra do ponto de vista energético”.

Segundo a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), o Brasil tem potencial de gerar 1,3 GW de energia elétrica a partir dos resíduos sólidos urbanos. Esse total é equivalente a um fornecimento adicional de 932 mil MWh/mês, o suficiente para abastecer 6 milhões de residências.
Última modificação em Sexta, 07 Outubro 2016 14:30
Avalie este item
(1 Voto)
Vacy Alvaro

Jornalista/Fundação Parque Tecnológico Itaipu

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Voltar ao Topo
 
Centro Internacional de Hidroinformática | Parque Tecnológico Itaipu   Mantenedores   Desenvolvido por:
Av. Presidente Neves, 6731 | CEP 85.867-900
Foz do Iguaçu | Paraná | Brasil
+55 45 3576-7038
   
  • Todos os Direitos Reservados