Portuguese English Spanish
Entrar

Entrar

Faça seu login
ou use sua conta
Lembrar-me

Create an account

Campos marcados com * são obrigatórios
Nome (*)
Nome de usuário (*)
Senha (*)
Confirmação de senha (*)
Email (*)
Confirmação de email (*)
BUSCA

Programa Oeste em Desenvolvimento debate alternativas para destinação correta de dejetos animais

Dejetos animais podem ser transformados em ativos econômicos. Foto: CIBIogás

O Programa Oeste em Desenvolvimento (POD) promove, no próximo dia 30, em Toledo, a 1ª Jornada Oeste de Meio Ambiente – Dejetos de Suínos e Aves, Alternativas e Inovações para Cadeia Produtiva. O evento reunirá professores, técnicos, profissionais, produtores rurais, representantes das cooperativas e associações de suinocultores.

Rafael Campos, sistematizador da Câmara Técnica de Meio Ambiente do POD, explica os objetivos do evento:

“Esse é um evento que surgiu do anseio das Câmaras Técnicas que compõem o Programa Oeste em Desenvolvimento, em específico a Câmara Técnica de Meio Ambiente, a Câmara Técnica de Suínos e a Câmara Técnica de Aves. Dentro do Programa Oeste em Desenvolvimento as duas últimas são as câmaras prioritárias que compõem a cadeia produtiva do oeste do Paraná. Como a questão dos dejetos é um problema ambiental a ser enfrentado e isso acaba causando empecilhos, ao desenvolvimento, ao crescimento dessas cadeias produtivas, entendeu-se por bem criar um evento para trabalhar essa temática. Nessa edição será trabalhado os dejetos de suínos e aves tentando trabalhar as alternativas e inovações para a cadeia produtiva: o que é que tem de novo, o que pode ser feito com os dejetos, quais são as tecnologias que já estão desenvolvidas, que já estão pesquisadas e como elas podem chegar no produtor. Nesse evento nós contamos com apresentação de pesquisadores da Embrapa, do IAPAR, representantes do IAP que irão falar de licenciamento ambiental, vamos ter fala do Ministério Público Estadual que também trabalha as questões de meio ambiente, teremos fala do pessoal do CIBiogás – que trabalha com a questão de produção energética por meio dos dejetos. Então é um tema que apesar de trabalhar com os dejetos, ele tenta ver todo o impacto que esses dejetos acabam gerando dentro da sociedade. Desde a questão da oportunização econômica desses dejetos quanto o impacto que isso gera na sociedade como um todo. O enfoque é sempre as tecnologias, ou seja, as alternativas e inovações que a cadeia hoje pode utilizar, dar uma destinação adequada para o dejeto e que esse dejeto represente para o produtor um ganho ambiental, econômico ou em produtividade.”


De acordo com Campos, a destinação de dejetos, principalmente de suínos, é um dos principais entraves para o crescimento das cadeias produtivas da proteína animal no Oeste.

“A problemática dos dejetos é gerada a partir do momento que se tem uma cadeia produtiva que é basicamente a agroindústria, na nossa região. Ela tem uma demanda de crescimento muito elevada – o Paraná vem se consolidando como um dos polos agrícolas do País. Então nós temos a questão agrícola e agropecuária e isso acaba levando a questão dos dejetos e isso é um subproduto dessa cadeia produtiva. Então quando se gera impacto ao meio ambiente por meio dessa cadeia é algo que precisa ser resolvido. Não pode haver crescimento sem preocupação com as questões ambientais. Trabalhar os dejetos é algo estratégico para continuar crescendo com esse modelo de cadeia propulsiva que nós temos aqui na região oeste.”


O Paraná é o maior produtor de carnes do País, cerca de 20% da produção nacional, com previsão de crescimento de até 10% para os próximos anos. Discutir a sustentabilidade do setor é de suma importância para manter os bons resultados, conforme destaca Rafael Campos.

“Como isso é uma questão estratégica do território, discutir um problema que hoje está sendo gerado ou que futuramente vai se tornar um problema maior, é algo para se pensar com antecedência como agir lá na frente. Essas discussões vem pra trazer alternativas, uma nova visão de como trabalhar os dejetos dentro de uma propriedade rural. E não simplesmente lembrar deles como um problema, e sim como uma solução. O dejeto pode
ser utilizado como biofertilizante, pode gerar energia. Então ele não é um problema na propriedade rural, ele pode ser uma solução para algo que o produtor rural já enfrenta.”


As inscrições são gratuitas. Outras informações estão disponíveis no endereço: www.oesteemdesenvolvimento.com.br.



Confira a programação do evento:

Última modificação em Terça, 28 Março 2017 20:10
Avalie este item
(0 votos)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Voltar ao Topo
 
Centro Internacional de Hidroinformática | Parque Tecnológico Itaipu   Mantenedores   Desenvolvido por:
Av. Presidente Neves, 6731 | CEP 85.867-900
Foz do Iguaçu | Paraná | Brasil
+55 45 3576-7038
   
Termos de Compromisso  |  Política Privacidade  |  Creative Commons 2014 • Todos os Direitos Reservados