Portuguese English Spanish
Entrar

Entrar

Faça seu login
ou use sua conta
Lembrar-me

Create an account

Campos marcados com * são obrigatórios
Nome (*)
Nome de usuário (*)
Senha (*)
Confirmação de senha (*)
Email (*)
Confirmação de email (*)
BUSCA
Poliana Corrêa

Poliana Corrêa

URL do site:

Plataforma SRI: soluções para o desenvolvimento territorial sustentável

Por meio do cadastro e sistematização de iniciativas, uma plataforma online criada pelo Sistema Regional de Inovação (SRI) busca fortalecer uma rede com a participação ativa de empresas, associações, técnicos, docentes, instituições de ensino e de pesquisa da região. O objetivo é conectar estes agentes territoriais, para a identificação de potencialidades e a geração de soluções conjuntas que resultem em inovação, desenvolvimento científico e tecnológico.

O site está disponível no endereço sri.oesteemdesenvolvimento.com.br. Nele, os interessados têm a possibilidade de apresentar atividades, produtos e serviços ofertados, estudos, infraestrutura disponível, resultados já alcançados, dentre outras informações.

Recentemente, a plataforma alcançou a marca de 500 cadastros efetuados. Segundo o analista de projetos do Parque Tecnológico de Itaipu (PTI), Nelinho Graef, a ferramenta está passando por um processo de otimização e em breve irá apresentar novas funcionalidades:

“O objetivo da plataforma inicialmente era fazer um mapeamento dos ativos de ciência e tecnologia da região oeste do Paraná e ao mesmo tempo ser um espaço de divulgação das ofertas e demandas desses ativos de ciência e tecnologia. Agora, estamos implementando outras funcionalidades que vão permitir a comunicação dos atores dentro da plataforma e uma ferramenta da Antena Tecnológica Territorial, que irá mapear todas as fontes de financiamento que lançam editais, chamadas públicas… e as que estiverem edital aberto iremos disponibilizar na plataforma. No outro espaço terá uma divulgação das notícias e tendências de tecnologia e inovação”.

Ainda de acordo com Graef, a plataforma visa dar visibilidade aos atores locais, incentivando novas parcerias e negócios. Cada integrante indica sua área de atuação e interesses. Com isso, é possível mapear as atividades, expertises e oportunidades que existem no território.

Levando em consideração o desenvolvimento econômico do oeste paranaense – amplamente firmado no setor agroindustrial – a plataforma é mais uma estratégia na busca por soluções para as questões ambientais que a região apresenta:

“Vou te dar o exemplo da Lar [cooperativa Agroindustrial Lar] que nesta semana fez um conjunto de cadastros de demandas que eles têm. Dentre as demandas cadastradas, tem algumas temáticas relacionadas à água, reaproveitamento da água. Eles cadastraram informações sobre a quantidade de água que é utilizada no abate de cada frango – acho que são 22 litros – essas informações ajudam universidades ou outras empresas à fornecerem propostas para tentar resolver essas demandas. Da mesma forma, as universidades também têm cadastrado um conjunto de cursos, patentes que já foram geradas ou de soluções que eles têm ou podem oferecer para estas demandas. Então boa parte dos cadastros realizados tem essa temática ambiental envolvida”.

A plataforma apresenta também notícias sobre editais, pesquisas, tendências de mercado, oportunidades de negócios, entre outros. O espaço é colaborativo, atualizado com sugestões dos integrantes da rede. Assim, ao identificar conteúdos de interesse comum ao território, as informações podem ser encaminhadas para o e-mail .

Sobre o SRI

O Sistema Regional de Inovação é uma iniciativa do Programa Oeste em Desenvolvimento e busca estimular a cooperação entre o setor produtivo, público, de pesquisa e a sociedade, com vistas à potencialização da inovação. O acesso às informações do site, assim como o cadastro de atividades, é gratuito e disponível para todos os interessados. As informações podem ser atualizadas sempre que o usuário cadastrado desejar.
Leia mais ...

Oeste paranaense promove diálogos sobre os ODS

Entre os dias 2 e 9 de agosto, a Itaipu Binacional, a Fundação Parque Tecnológico Itaipu (Fundação PTI) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) realizarão Seminários Microrregionais sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no Oeste do Paraná.

A ação faz parte de um acordo de cooperação técnica entre Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e Itaipu que visa o mapeando da adesão, dificuldades e outras questões referentes à futura implantação dos ODS nos 54 municípios que compõem a região. O acordo, vigente até 2019, pretende atuar em três eixos: Diálogos Municipais, Avaliação e Monitoramento e Formação.


O trabalho é dividido por microrregiões e cidades-núcleos. Durante os encontros, Itaipu, FPTI e Pnud compartilham informações sobre os ODS e fazem apontamentos para ajudar os municípios a construir em parceria uma plataforma de indicadores dos ODS.

 

Nesta sexta-feira (4), foi a vez de Foz do Iguaçu sediar a agenda de debates sobre os ODS. Durante o encontro, a coordenadora de cooperação técnica do Pnud, Samantha Dotto Salve, comentou a importância da integração entre o social, econômico e ambiental:

 

O desenvolvimento sustentável é baseado em um tripé: o tripé do social, do econômico e do ambiental. Entendendo que tudo o que fizermos hoje para o nosso desenvolvimento, não pode afetar as geração futuras. Então muito pode ser feito nos três eixos. O principal deles, é que todas as ações, sejam elas no campo econômico, social ou ambiental, elas pensem no outro lado. Que a gente faça tudo de maneira integrada, e que uma respeite a outra.”

 A coordenadora de cooperação técnica do Pnud, Samantha Dotto Salve. Foto: Kiko Sieriech


De acordo com o diretor de coordenação da Itaipu, Hélio Gilberto Amaral, a implementação dos ODS deve ser encabeçada pela sociedade:

 

Eu acho que o protagonismo de uma ação territorial tem que ser da liderança local. Tem que ser do prefeito, das lideranças empresariais, dos professores e de cada indivíduo dentro da sua casa, e assim por diante. Por que os ODS eles começam nas famílias com as crianças, com os pais. Quando você fala de qualquer ação ambiental você, necessariamente, tem que começar no indivíduo. É o comportamento do indivíduo que afeta o meio ambiente”.


Para o o diretor de coordenação da Itaipu, Hélio Gilberto Amaral, a implantação dos ODS começa dentro de casa. Foto: Kiko Sierich



O desafio da ONU é que até 2030 os países estejam preparados para enfrentar os principais problemas que afetam a humanidade, como as mudanças climáticas, a contaminação dos ecossistemas, a fome, a miséria e o esgotamento das fontes de água potável, entre outros.

 

Para o diretor superintendente da Fundação PTI, Ramiro Wahrhaftig, uma das estratégias de transformação do território é a elaboração de materiais didáticos para abordagem da temática em sala de aula e a capacitação de profissionais que atuam nas redes de ensino pública e privada. Além disso, cada município deve buscar nos seus pontos fortes alternativas para aplicação dos ODS. Como é o caso de Foz do Iguaçu, cujo setor turístico possui grande poder de adesão com a sociedade :

 

Nós precisamos criar cultura. Isso nós criamos por meio das crianças, elas que têm que incorporar esses conceitos. Os hotéis também vão ter uma participação enorme. Se nós temos dois setores que estão em contato com quase toda população de Foz do Iguaçu, seja a população residente ou a população temporária, é o sistema escolar e os hotéis. Se nós tralharmos com esses setores, especificamente, nós vamos ter possibilidades inúmeras de sucesso”.


Ramiro Wahrhaftig, diretor superintendente da Fundação PTI, destacou o envolvimento das escolas na divulgação dos ODS. Foto: Kiko Sierich


A ação é inovadora no país e no mundo, pois é uma das primeiras iniciativas em localização municipal dos ODS a nível regional e, alinhada ao P de “Parcerias” da Agenda 2030, reúne o conhecimento técnico do PNUD, a relevância e experiência territorial de Itaipu e o destaque em desenvolvimento regional do Oeste do Paraná.
 
Leia mais ...

6ª edição do Escola de Combustão irá abordar biocombustíveis

O curso de Engenharia de Energia da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) promove, de 7 a 11 de agosto, a 6ª Escola de Combustão, evento bienal organizado pela Rede Nacional de Combustão (RNC). Esta é a primeira vez que o Paraná recebe uma edição do encontro, que será realizado no Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e terá como tema combustão de biocombustíveis para geração de eletricidade e calor de uso industrial.

Apesar de não se tratar de uma unanimidade na comunidade acadêmica, alguns pesquisadores relacionam as ações humanas como fatores que impulsionam as alterações climáticas. Neste cenário, abordar o uso de biocombustíveis é de suma importância, conforme destaca o professor da UNILA, Fabyo Luiz Pereira:

“Então, dentro dessa linha de pensamento, a questão dos biocombustíveis entra como uma fonte energética que é capaz de reduzir substancialmente esse tipo de problema uma vez que os biocombustíveis – de acordo com o que a gente aprende nas universidades – os biocombustíveis possuem um ciclo que carbono que se compensa”.


De acordo com Fabyo, uma das motivações para a realização da Escola de Combustão em Foz do Iguaçu é a existência de um forte setor agroindustrial na região:

“A gente têm programado algumas palestras e também dois cursos intensivos que serão ofertados para profissionais da área de combustão. Esses dois cursos serão ministrados, um com a temática de combustão de biocombustíveis e o outro com a temática de modelagem do transporte e cinética química na combustão de biocombustíveis. Esses dois temas têm muita atratividade na região tendo em vista que a região tem uma vocação agroindustrial, quer dizer, temos a produção de grãos e a cadeia de proteína animal. Então, a gente acredita que essa temática tem muita a ver com boa parte da economia da região”.

Além dos cursos, a programação conta com mesas-redondas e palestras que irão abordar temáticas como “Oportunidades em biocombustíveis para o setor industrial”, “Geração de eletricidade por combustão e gaseificação e biomassa” e “Uso de biodiesel em Motores de Combustão Interna”.
Podem participar do evento professores, pesquisadores, pós-graduandos, profissionais da área de combustão e profissionais que atuam no setor agroindustrial.

Outras informações estão disponíveis no endereço redenacionaldecombustao.org.
Leia mais ...
Assinar este feed RSS
 
Centro Internacional de Hidroinformática | Parque Tecnológico Itaipu   Mantenedores   Desenvolvido por:
Av. Presidente Neves, 6731 | CEP 85.867-900
Foz do Iguaçu | Paraná | Brasil
+55 45 3576-7038
   
Termos de Compromisso  |  Política Privacidade  |  Creative Commons 2014 • Todos os Direitos Reservados